RESENHA – INVASÃO AO SERVIÇO SECRETO

Última atualização: 09:22

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

 

Mais um grande filme de espionagem, da já carimbada série do sempre dedicado agente do Serviço Secreto, Mike Banning (Gerard Butler) que dessa vez está do outro lado da história e ve sua vida mudar completamente da noite para o dia ao ser acusado de conspirar para o assassinato do presidente dos Estados Unidos. Quando percebe que todos estão atrás dele, Mike corre contra o tempo para descobrir o que realmente aconteceu enquanto foge de outros agentes.

A trama se desenrola por aí, sempre com aquela pegada de gato e rato, recheado de ação, pancadaria e perseguições de carros, com muitas explosões e tiroteios aos montes, o filme tem um ótimo enredo, bem amarrado e que prende o espectador o tempo todo, de roteiro inteligente, trilha na medida e extremamente habil.

Se o segundo longa, Invasão a Londres, pegou em 2016 a onda dos suspenses de vingança, o terceiro, Invasão ao Serviço Secreto, muda tudo, baseado na desconfiança politica, que talvez seja o que mais se aproxima de uma fórmula de trama de conspiração, envolvendo o presidente Allan Trumbull (Morgan Freeman) que descobre que informações são vazadas do seu gabinete para a imprensa, colocando Mike, como o principal suspeito de arquitetar e executar um atentado contra o seu patrão.

Nessa miscelânea de adrenalina existe ainda a tentativa de humanizar o protagonista, trazendo o pai da figura interpretado pelo ótimo Nick Nolte, que traz a leveza ao longa e que tem diversão na medida.

O filme não desaponta no que se propõe, mostra que a linha que vem sendo conduzida, não perdeu em nada a medida, pelo contrário, continua sendo muito bem elaborada e atingindo um público que gosta de verdade de filmes sobre espionagem, mesmo que ainda existam os bons e velhos clichês, não desaponta, muito menos desabona, só faz acelerar a adrenalina do espectador, a cada nova cena de ação, que são muitas.

Uma super indicação, principalmente para ser vista numa sala XD, pois a sonoridade desse longa é o diferencial.

Borba Martini –  Critico de Cinema & Teatro


Expediente - Quem Somos - Nossa Marca - Política de Privacidade - Colabore - Publicidade - Fale Conosco - Widget - Doodles
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×